História das Solexs

Maurice Goudard e Marcel Mennesson, ambos formados numa faculdade pública de engenharia, são os criadores da empresa Solex em 1905, com o intuito produzir carburadores para a industria automóvel.

Em 1916 Marcel e Mennesson solicitam uma patente para produzir um motor auxiliar que se posicionasse no centro da roda traseira; em 31 de Dezembro de 1917 obtêm a mesma.
Em 31 de Dezembro de 1918 solicitam uma segunda patente, que é dada em 26 de Maio de 1919; sendo a mesma relativa a um veículo de duas rodas composto por um quadro tubular que faz a ligação do assento à forqueta, fazendo também de pousa pés, similar a um “U”, incluindo também uma suspensão dianteira pendular. Mesmo dispondo das duas patentes os dois engenheiros não seguiram a produção das mesmas, investiram sim no nascimento de um mito…

Em 1940 Marcel Mennesson tinha o protótipo de um motor de 38cc com algumas das actuais características da Solex , entre as quais uma transmissão com um cilindro rotativo e uma bomba de gasolina (que ia permitir a colocação de um depósito em qualquer ponto da bicicleta). Em Dezembro de 1940 Mennesson adapta o motor a uma bicicleta preta, com um guarnição dourada e rodas de 700mm, nasce assim a primeira VeloSolex.

Imagem 1
Primeiro protótipo da Solex

Em 7 de Julho de 1943 é criada uma nova categoria de transportes, as bicicletas com motores de cilindrada inferior a 50cc, ou motores de emergência, (em Portugal são os chamados velocípedes); obviamente que esta alteração legislativa abre portas à produção em massa, o primeiro modelo da Solex fica pronto em 1942 e saem logo 700 unidades para distribuir pelos funcionários da companhia, com o fim de melhorar o veiculo.
A versão definitiva aparece então em meados de 1946.

Imagem 1
Segundo protótipo da Solex

A comercialização

A primeira Velosolex é vendida em Abril de 1946, são manufacturados em Courbevoie, França, a uma média de 15 bicicletas dia e vendidas a 13.600 francos cada (Na época seriam 20.73€, actualmente correspondem a 872,86€).
Em 1947 são introduzidas as primeiras modificações, a BP (British Petroleum) inventa o “Solexine” gasolina com a dosagem necessária de óleo que reduzia de forma considerável os resíduos (também chamado “Calamine”), este combustível era comercializado pelas bombas de gasolina em latas de dois litros.

Imagem 1
A última embalagem de Solexine

Em 1948 já com 25.000 bicicletas construídas, o seu preço aumentou até aos 19.418 francos; em 1949, existiam 36.000, estimando-se uma venda de 100 Solex por dia.
1951 a Solex custava já 32.500 francos, ou seja, mais do dobro do seu preço inicial; no mesmo ano, 1951, Gaston Chapelle estava no departamento de pós-venda da marca passou a controlar a construção de uma rede de quase 250 estações de gasolina para as Solex , estações essas que se elevaram a um total de 1.000 em 1962 por toda a França e países pertencentes união Francesa.
Em 1953, com um total de 100.000 bicicletas construídas vendiam-se em quantidades de 50 a cada um dos distribuidores, pagas em dinheiro “vivo”, o sucesso era de tal forma fenomenal que os pedidos estavam com uma média de espera de 3 meses, provocando até um “mercado negro” paralelo. A produção era já assegurada por três unidades fabris.

O modelo 330

Em 1954 é introduzido um novo modelo, o motor é modificado e o “tipo 330” custa cerca de 34.810 francos, em 1954 são vendidas 157.814 unidades e em 1955, 202.588 unidades.

Imagem 1
Modelo 330

O modelo 660

O 660 é introduzido em Outubro de 1955 numa apresentação de Paris, a bicicleta é modificada e são vendidas 228.183 unidades no ano de 1956 e 261.021 unidades em 1957, em 1958 o volume de vendas atinge as 274.261 unidades.

Imagem 1
Modelo 660

Mudanças no motor

Em 1957 aparece o modelo 1010 em que as principais mudanças são no motor.

Imagem 1
Modelo 1010

O modelo 1400 aparece em 1958 com rodas de 550mm e os pneus mais grossos, são vendidas 288.309 unidades a um preço de 32.800 francos com garantia de um ano.

Imagem 1
Modelo 1400

Em 1960 é lançado o modelo 1700, uma óbvia resposta à concorrência da “Vélovap”; este novo modelo tem já uma embraiagem automática. São vendidas 288.194 unidades ao mesmo preço que o modelo 1400, nesse mesmo ano a produção é já assegurada por 5 fábricas da produção.

Imagem 1
Modelo 1700

Modelo 2200

O modelo 2200 é lançado no Verão de 1961, as alterações são relativas ao design e potência do motor. Em 1961, a produção alcança 300.070 unidades e cada bicicleta é vendida a 348 francos (alteração da moeda corrente) a produção aumenta para 311.076 bicicletas em 1963 e para 380.000 em 1964; estima-se até que nesse mesmo ano são vendidas 1.500 bicicletas por cada dia de trabalho.

Imagem 1
Modelo 2200

Com o objectivo de melhorar a produção, o quadro é alterado para uma forma rectangular de aço, o modelo 3300 é introduzido em 1964 já com essa nova estrutura, o seu preço é de 373 francos.

Imagem 1
Modelo 3300

A única, a 3800

A 3800 é lançada em 1966, daí as inscrições no motor da mesma, são melhorados os desempenhos e em 1968 este modelo está disponível em 2 cores distintas, o azul e vermelho por apenas 420francos e o modelo de luxo por 447francos. Em 1967 a Solex 3800 tinha uma produção de 287.119 unidades e em 1968 de 286.431.

Imagem 1
Modelo 3800

Um erro, o Mícron

De 1968 a 1974 é produzido o “Mícron”, é um transporte que mistura as rodas de uma scooter e o motor da 3800 no entanto sem pedais. Para este modelo era obrigatório o uso de capacete, de matricula e licença, demasiadas obrigações para o que se queria prático. Não foram produzidas maus de 4000 unidades deste modelo.

Imagem 1
O Micron

Com intenção de triunfar no mercado clássico a Solex produziu o Flash, sem o motor na parte dianteira e em uma estrutura diferente das tradicionais Solex. O Flash foi lançado em 1969 e dá origem ao modelo 6000 em 1972, em que se junta um travão de disco traseiro e um motor de 1.4cv capaz de alcançar os 40Km/h com consumos pouco superiores a 2litros/100Km. (contra os 1.2lts/100 e 30Km/h da 3800). O 6000 era vendido a 559 francos, com forquilha telescópica e um guarda-lamas clássico, a produção atingiu as 100.000unidades.

Imagem 1
Flash
Imagem 1
6000

O modelo 5000

O 5000 aparece em 1971 e é comercializado ao mesmo tempo que o 3800, este é um modelo mais jovial e mais baixo, disponível em quatro cores, o amarelo, laranja, azul, e o branco, 529 francos e é produzido até 1980. Em 1973, o 5000 é disponibilizado numa versão desmontável chamada de “PliSolex”, este modelo custa 715 francos, o PliSolex foi produzido até 1978.

Imagem 1
O 5000
Imagem 1
PliSolex

Uma motorizada Solex

Em 1973 a Solex lança uma motorizada sem o motor na parte dianteira e com um sistema de movimentação diferente, é o Tenor, é no fundo uma motorizada clássica com um motor Franco Morini, o modelo base é disponibilizado por 1060 francos (L) e o mais completo (S) por 1350 francos, tendo já incluídos piscas, um assento maior e com molas. Seis meses depois o Tenor é remodelado ficando sem as molas na parte traseira e passa a ter guarda lamas de inox, os modelos L e S passam a ser GL e GS com cilindros inclinados 25º e com um motor Franco Morini de 4 mudanças com selector de pé e embraiagem manual, este modelo só está disponível em vermelho e são produzidas apenas 2000unidades.

Imagem 1
O Ténor

O modelo 4600

Em 1974 aparece o 4600 para exportação, este modelo mistura o 3800 e o 5000 para estar de acordo com as legislações locais, tem um farol dianteiro adequado aos EUA ou um farol da 5000 para o mercado inglês. É lançada também uma 5000 específica para o mercado Holandês que com as suas rodas pequenas permitia que não fosse utilizado capacete. Estes são os últimos modelos produzidos pela Solex.

Imagem 1
O Modelo 4600

O fim do mito

Em 29 de Janeiro de 1974, Félix Goudard morre com 86 anos, era nessa altura o responsável pela comercialização da Solex em todo o Mundo, nesse mesmo ano a Motobécane (Actual MBK) fica com a maioria das acções da VeloSolex e para de imediato a produção da 6000 e da Tenor, uma vez que são concorrentes das suas motorizadas, a 3800 passa a ser construída em Quentin, na fábrica da Motobecane, em 1977 é introduzido um novo farol neste modelo e em 1986 os punhos e manetes passam a ser “normais” e não invertidos. A Motobecane passa a MBK em 1983, com o takeover da Yamaha, o modelo 3800 só é construído até 1988 mas com vendas muito reduzidas nesse período de tempo. As ultimas 100 unidades são então vendidas em leilão para uma acção de caridade.

Actualidade

A patente do desenho do modelo de bicicleta com motor, do tipo como a que foi fabricado pela Velosolex, é de propriedade exclusiva da Societé Mopex S.A. – France, que as continua a comercializar.
A marca e logotipo “Solex” e “Velosolex” pertencem à Magneti-Marelli Motopropulsion France S.A.S. na Europa; nos Estados Unidos ela pertence à Velosolex America, Master Franchise da Mopex para EUA e CANADA.
A Impex, uma fábrica da Hungria que fabricava a Solex 3800S não pagou o contrato de uso da marca para a Magneti-Marelli e teve seu contrato rescindido estando neste momento desactiva.
A empresa Brasileira Velosolex Bicyclos do Brasil Ltda. é o Master-Franchise para a América Latina e Caribe, onde importa e monta no Rio de Janeiro as novas S-4800 da Mopex e as exporta para os mais de 38 países do continente, em um volume inicial de 20.000 unidades por ano.